top of page
  • Foto do escritorMari Rabelo

Qual tipo de fábrica investir?




Qual tipo de fábrica investir?

Você sabia que é possível comprar o mosto pronto, fermentar e envasar?


Algumas pessoas se surpreendem quando descobrem que para abrir uma indústria de bebidas não é preciso ter uma “fábrica completa”. Ou seja, não é necessário executar todas as etapas do processo! Você pode simplesmente assumir apenas uma delas e ainda assim ser uma fábrica e faturar. “Oi??”


Pois é!.. eu mesma tive essa surpresa ao longo da minha carreira como consultora. Me recordo de uma vez que atendi uma cachaçaria que era “dividida” em duas: a produção do mosto de cana e destilação eram executadas em um endereço na zona rural e a padronização da bebida e envase eram executados em um outro endereço na zona urbana de uma outra cidade. Me contrataram pra resolver esse problema de “fábrica dividida”: precisavam que eu legalizasse toda essa estrutura no Ministério da

Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA – órgão que regulamenta e fiscaliza as indústrias de bebidas no Brasil). Pensei comigo “e agora”?


Para resolver essa situação eu fiz o que sempre me pareceu muito sensato: perguntar pra quem sabe o que eu não sei e checar se a informação é verídica. Pedi ajuda à uma Auditora Fiscal Federal do MAPA que atua no setor de bebidas e então ela me explicou o seguinte: É possível sim registrar toda essa estrutura em diferentes endereços e não é necessário que todas as etapas do processo de fabricação da bebida estejam no mesmo endereço de localização, nem que pertençam ao mesmo dono, já que o MAPA classifica as fábricas de bebidas em diferentes tipos, conforme o Artigo 4 do Decreto 6.871/2009.


Abaixo, te apresento quais são as “classificações” das fábricas de bebidas:


  • produtor ou fabricante;

  • padronizador;

  • envasilhador ou engarrafador;

  • atacadista;

  • exportador; ou

  • importador.


Veremos, abaixo, que estas classificações de fábricas são, na verdade, uma classificação destes estabelecimentos conforme suas atividades, isoladas ou em conjunto. Vamos por partes. Primeiro, é preciso entender quem faz o quê. Ainda conforme o Decreto 6.871/2009, temos (in verbis):


  • Produtor ou fabricante é o estabelecimento que transforma em bebida produtos primários, semi- industrializados ou industrializados de origem agropecuária;

  • Padronizador é o estabelecimento que elabora um tipo de bebida padrão utilizando bebidas de mesma denominação, podendo adicionar outros produtos previstos nos padrões de identidade e qualidade da bebida;

  • Envasilhador ou engarrafador é o estabelecimento que envasilha bebida em recipientes destinados ao consumidor final;

  • Atacadista é o estabelecimento que produz, compra de terceiros, devidamente registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, acondiciona e comercializa bebida a granel, não destinada ao consumidor final;

  • Exportador é o estabelecimento que exporta bebida e matérias-primas;

  • Importador é o estabelecimento que importa bebida e matérias-primas.


Em seguida, vamos entender como aquela “fábrica dividida” do meu cliente se classificava: A sua ‘primeira metade”, onde ocorria a produção do mosto de cana e destilação, foi classificada como estabelecimento “produtor ou fabricante e atacadista”. Na prática, a cachaça era enviada à granel para a sua “segunda metade”, onde ocorria a padronização da bebida e envase. Dessa forma, este outro estabelecimento foi classificado como “padronizador e envasilhador ou engarrafador”.


Portanto, observe que, para abrir uma fábrica de bebidas é possível investir menos do que se imagina, já que nem todas as máquinas do processo são necessárias dependendo do tipo de estabelecimento que você vai ter. Essa classificação de estabelecimentos se aplica a todas as indústrias de bebidas e você pode ter uma Cervejaria investindo apenas em tanques de fermentação e uma máquina envasadora de garrafas pets, por exemplo, já que você poderia simplesmente comprar o mosto de cevada pronto de outra fábrica. Comprando o mosto pronto de outra fábrica você fica dispensado de comprar uma brassagem e, dessa forma, economizar MUITA grana no investimento inicial do seu negócio. E saiba que, no futuro, nada te impede de crescer o seu negócio e comprar sim essa brassagem para produzir o seu próprio mosto. Com planejamento e entendimento das legislações vigentes, quase tudo é possível!


Você já conhecia sobre essas classificações de indústrias e sabia que era possível abrir uma fábrica de bebidas executando apenas uma parte do processo?? Me conta aqui nos comentários e, se puder, compartilhe esse artigo com outros colegas e amigos que não saibam disso e possam se interessar no assunto.


Fique ligado no blog porque em breve vou te contar sobre possibilidades de negócios para cada tipo de classificação de fábrica de bebidas e como você pode ter o seu negócio antes mesmo do que imaginava!


Um grande abraço,

Mari.


24 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page